Encontre o que deseja mais rapidamente!
Digite o nutriente, alimento, doença ou assunto que deseja saber:

O Leite

Desde os nossos primeiros dias de vida, o leite é um dos alimentos que mais se destacam por sua importância em nosso crescimento e manutenção da saúde.

O leite é uma das principais fontes de sais minerais como cálcio, potássio, cloro e fósforo, bem como de vitaminas como A, B1, B3, B6, B12 e D. Ah, e não podemos nos esquecer das proteínas e carboidratos que há no leite!

É por essas e outras razões que o leite é considerado um dos alimentos mais completos e, portanto, indispensável para o nosso cardápio (por descuido nosso, esquecemos de incluir o leite no texto sobre Como conseguir uma alimentação saudável e barata, mas já estamos atualizando ele e, em alguns minutos, o leite também estará em nosso “cardápio acessível a todos” 😉 ).

E não podemos esquecer dos derivados do leite: iogurte, queijo, manteiga, etc. Eles também possuem boas quantidades de cálcio e gordura, bem como podem ser ainda mais enriquecidos com sais e vitaminas, como é o caso de vários iogurtes disponíveis no mercado.

Leite e Saúde

Por ser uma importante fonte de cálcio, o leite é importante na prevenção de diversos tipos de doenças, como osteoporose, raquitismo e artrite.

E por falar em cálcio, alguns tipos de cárie dental são causados por deficiência do mestmo também, sendo assim, o consumo do leite é importante também se você quiser manter seus dentes fortes e saudáveis.

O leite também é fonte de potássio, fósforo, iodo e diversas vitaminas, sendo assim, todos os problemas advindos da deficiência dessas vitaminas e sais podem ocorrer, se não houver outras fontes capazes de satisfazer nossas necessidades diárias.

O Leite Durante a Gravidez e o Leite Materno

Durante a gravidez, o embrião necessita de muitos minerais para o seu desenvolvimento. Se a mamãe estiver desatenta para a sua alimentação e não consumir uma quantidade maior deles, o bebê pode começar a absorver os minerais a partir do organismo da mãe, podendo assim a mesma ter uma desmineralização óssea, por exemplo, ao perder cálcio para a formação do feto.

Sendo assim, durante a gravidez é importante que a mulher consuma uma quantidade maior de alimentos ricos em cálcio, como o leite, por exemplo. É por essas e outras que é indicado o consumo diário de 3 a 4 xícaras de leite. Pode parecer muito, mas lembre-se que o cálcio é essencial, tanto na formação óssea do bebê, quanto na prevenção de doenças causadas pela desmineralização óssea, como é o caso da osteoporose.

Além disso, durante a amamentação é importante que a mamãe continue bebendo bastante leite e que o bebê consuma somente o leite materno, por ser este um leite mais enriquecido e que ajuda a criança a ficar mais resistente a doenças.

É importante lembrar que a Organização Mundial da Saúde recomenda que bebês até seis meses de idade alimentem-se somente de leite materno e que o leite materno seja complementado com outros alimentos até os dois anos de idade.

Leite Cru  x  Leite Pasteurizado

Após a Segunda Guerra Mundial,a produção industrial de leite subiu, intensificando assim o uso da pasteurização. Mas… quais as conseqüências que isso nos trouxe?

O leite produzido depende muito da alimentação e como as vacas são tratadas lá. Quando criadas em fazendas, com liberdade para pastar, elas conseguem uma alimentação muito mais rica em diversos nutrientes, nutrientes estes que serão repassados para o seu leite. No caso das vacas que são confinadas, o nível de stress ao qual são submetidas, bem como o tipo de alimentação pode prejudicar o leite, reduzindo o tipo de nutrientes presentes no mesmo.

Sendo assim, é de esperar que o “leite cru”, aquele obtido diretamente das fazendas contenha mais nutrientes do que o “leite industrializado”. Entretanto, além de uma maior quantidade de nutrientes, o “leite cru” é mais propício ao desenvolvimento de bactérias patogênicas (causadoras de doenças) já que há um menor controle sobre onde e como as vacas se alimentam.

A pasteurização entra em jogo justamente para destruir essas bactérias, bem como ajudar a controlar o nível de gordura no leite. Infelizmente, a pasteurização também destrói parte das vitaminas, que são bastante sensíveis ao processo.

O leite cru é melhor para o desenvolvimento ósseo, bem como para desenvolver a nossa resistência a doenças. Então, se você tiver a oportunidade de consumir o leite cru, o leite “direto da fazenda”, aproveite! Mas lembre-se de ferver o mesmo antes de beber ou usá-lo no preparo de algum alimento (bolo, por exemplo… huuuummmmm! 🙂 ).

Leite de Soja

O leite de soja contém uma menor concentração de gordura, bem como um maior teor protéico que o leite normal, o que incentiva o seu consumo. Entretanto deve-se atentar ao fato de que o leite de soja possui uma menor concentração também de cálcio, importante para o crescimento e manutenção de nosso sistema ósseo.

Quando enriquecido com cálcio, o leite de soja supera essa sua deficiência e torna-se um excelente alimento, inclusive para mulheres que sofrem de osteoporose ou outros problemas de saúde normalmente causados pela desmineralização óssea.

Além disso, por não conter caseína e lactose (duas substâncias presentes no leite de vaca e que podem causar reações alérgicas em algumas crianças), o leite de soja também é indicado para o caso de crianças que não podem consumir leite de vaca.

Introduzindo o Leite e seus Derivados nas Refeições

Quem estiver interessado em um cardápio mostrando como podemos introduzir o leite e seus derivados em nossa alimentação, encontramos um bastante apetitoso escrito por Rosangela Zoccal no site da EMBRAPA, falando sobre o valor nutritivo do leite.

Referências Bibliográficas

LARANJA LIMÃO, Papel do Leite na Alimentação Saudável

TEMAS ATUAIS NA PROMOÇÃO DA SAÚDE, Alimentação e Leite

PORTAL ANGELS, Leite de soja, melhor que o de vaca